O AUTO-CONHECIMENTO
 
O principio da sabedoria baseia-se no conhecimento psicológico de nós mesmos
O PODER DO SEXO

Apreender a controlar essa energia maravilhosa do sexo significa fazer-se amo da criação...

LEI DO KARMA

A lei do Karma é aquela lei que ajusta, sábia e inteligentemente, o efeito a sua causa. Todo o bem ou mal que tenhamos feito numa vida virá trazer-nos consequências boas ou más para esta vida ou próximas existências.

QUALIDADE DE VIDA

A humanidade se encontra vivendo tempos difíceis. O homem se esqueceu de "si mesmo", comete erros e suas conseqüências são a dor e as enfermidades.

ESOTERISMO

São Paulo nos diz na Bíblia: “Possuis corpo carnal e corpo espiritual”. Dispomos de práticas para que você mesmo possa ver sair a sua Alma do corpo...

Error message

  • Deprecated function: Function create_function() is deprecated in eval() (line 1 of /home/centroanael/public_html/modules/php/php.module(80) : eval()'d code).
  • Deprecated function: The each() function is deprecated. This message will be suppressed on further calls in _menu_load_objects() (line 579 of /home/centroanael/public_html/includes/menu.inc).
  • Deprecated function: implode(): Passing glue string after array is deprecated. Swap the parameters in drupal_get_feeds() (line 394 of /home/centroanael/public_html/includes/common.inc).
...o teu bebé não tem culpa, não te pediu para vir ao mundo...

Leslie

Puerto Rico

Aborto

A minha história foi um verdadeiro milagre de Deus.
No mês de Maio do ano 2001 fiquei grávida. Vivia no ambiente das modas, da modelagem, dos fashion shows, castings, filmagens, promoções. Pesava somente 41 kg . E a minha maior ambição “ver-me bem, não engordar”. O meu namorado se protegia com preservativos mas nesse 22 de Maio de 2001 o preservativo se rompeu. Eu soube desde esse instante que ficara grávida.
Comecei a sentir as mudanças no meu corpo: náuseas, tonturas, sono, cansaço. Dizia-me a mim própria “não pode ser. Quando vi POSITIVO no teste de sangue quis morrer, gritei e chorei até a exaustão, não queria ter um filho, não o queria, não podia tê-lo. Vi a minha vida despedaçada, os meus sonhos bloqueados, meus objectivos desfeitos, meu corpo, meu afã pela modelagem, tudo, tudo tinha acabado, mas encontrei a “solução ao meu problema”: O ABORTO.


Assim que me dirigi a uma clínica de abortos. Lembro-me que ao estacionar o carro uma dor intensa rodeou o meu coração, um sentimento maternal me pressionava, um chorar contínuo começou a surgir em mim, não tinha consolo. Comecei a pedir perdão a Deus e ao meu bebé pelo que ia fazer nesse local. Sequei as lágrimas e entrei, preenchi um folheto mas um arrepio, um medo horrível se apoderou da minha vida, pressentia que eu podia morrer nesse aborto, mas pensei novamente “não, não posso tê-lo”. Lembro-me que me chamaram e eu disse à secretaria “Quero que antes de abortar me façam um sonograma, para vê-lo ainda nem que seja pela última vez... não sei... o que se encontre ali”.


Mudei de roupa, coloquei a minha bata, os chinelos e o gorro, e sentei-me a aguardar numa cadeira reclinável ao pé de outras 5 mulheres, também prontas para cometer esse crime ao igual que eu. Quando era a minha vez, as minhas pernas tremeram, deitei-me numa camilha, duas enfermeiras totalmente frias me ajudaram no procedimento, logo chegou um homem alto, ruivo, sério, assassino. Me tratou mal desde o início, logo que me viu comentou: “Não gosto como se vê esta rapariga”, me deu as indicações, me disse: “Vou-te fazer um endovaginal, aqui vais ver o que tens aí dentro, e eu vejo em que posição está para depois sugá-lo com este instrumento”. Assim que introduziu o tubo para realizar o endovaginal, queixei-me de dores, foi muito brusco e ele me contestou “Linda, se te dói isto prepara-te para o que vêm a seguir”, eu queria ir-me, me sentia mal, tinha muitas dores, mas já estava ali e o tinha que fazer, estava decidida, com uma dor na alma, mas como lá encima há um Deus grande que tudo o vê e tudo o sabe, este médico me disse: “Tens a certeza de que estás grávida? e respondi-lhe: “Sim, estou”, e me disse: “Trouxeste a prova? Olhou o relatório, viu a prova, e eu disse: O que está a acontecer? E ele aponta ao ecrã e diz: Não há nada... não vejo nada... não vejo absolutamente nada e já tens 1 mês de gravidez... supõe-se que se veria; tens que esperar mais tempo”.


Eu disse-lhe: “não há problema, virei logo”. Mas tão prontamente sai dessa clínica disse: “Deus meu! O que é isto?. Deus é tão, tão grande que não permitiu que o meu bebé se visse, porque o meu filho tinha que nascer. No dia seguinte fui ter com a minha prima que é enfermeira e lhe pedi que me fizesse um sonograma; ela me levou ao hospital onde trabalhava e na sala da maternidade realizou-me um sonograma. Comentei-lhe o que me tinha acontecido naquela clínica onde não viram nada, e para minha surpresa tão pronto a rapariga colocou aquela máquina no meu abdómen, apareceu uma pequena coisinha latindo, era o coraçãozinho do meu bebé, consegui ver o saquinho... tudo. Que grande é Deus!


Decidi ter o meu filho, continuar com a minha gravidez, e no dia 31 de Janeiro de este ano tive a felicidade mais grande da minha vida, pois consegui por cesariana o meu primeiro filho rapaz, foi a emoção mais grande da minha vida, estive chorando durante todo o parto; quando me puseram esse ser humano ao meu lado foi uma experiência extraordinariamente bela; nasceu com saúde, forte. Hoje em dia esse ser humano é a minha razão de existir, o AMO com todas as minhas forças. É a pessoazinha que mais quero neste mundo, jamais me tivesse perdoado de ter assassinado ao meu filho; não imaginam o quanto choro quando o vejo dormidinho ao meu lado nas noites, e penso naquilo que quase consegui fazer.


Meu filho é uma criança feliz, sempre tem um sorriso nos seus lábios e é o presente mais belo que Deus me concedeu. A todas as mulheres que se encontram numa situação difícil, que estejam pensando em abortar: PARA! Não o faças! Pensa primeiro, analisa, o teu bebé não tem culpa, não te pediu para vir ao mundo, dá-lhe a oportunidade de viver. Eu poderia ter voltado àquela clínica mas não o fiz, porque Deus não o permitiu, um filho não é um fardo, fardo seria o levares a culpa e o pecado na tua consciência por teres assassinado ao teu próprio filho, a tua própria sangue.


Vamos a dar-lhe a vida a essas criaturas inocentes, Deus não nos dá uma carga que não podemos levar. E lembra-te, faz desta minha frase a tua também “As nuvens negras e tormentosas não prevalecerão eternamente, o sol brilhará de novo e as afastará”.
Já não me interessa a modelagem, não dou importância ao corpo, somente vivo para o meu filho, para vê-lo crescer com bem e com saúde e sobretudo para inculcar-lhe nos caminhos de quem o guardou desde o meu ventre e quem lhe deu a vida: Deus. Deus te abençoe, e que a minha história sirva de ajuda para poderes seguir em frente, dizendo-lhe SIM à VIDA e NÃO ao ABORTO.