O AUTO-CONHECIMENTO
 
O principio da sabedoria baseia-se no conhecimento psicológico de nós mesmos
O PODER DO SEXO

Apreender a controlar essa energia maravilhosa do sexo significa fazer-se amo da criação...

LEI DO KARMA

A lei do Karma é aquela lei que ajusta, sábia e inteligentemente, o efeito a sua causa. Todo o bem ou mal que tenhamos feito numa vida virá trazer-nos consequências boas ou más para esta vida ou próximas existências.

QUALIDADE DE VIDA

A humanidade se encontra vivendo tempos difíceis. O homem se esqueceu de "si mesmo", comete erros e suas conseqüências são a dor e as enfermidades.

ESOTERISMO

São Paulo nos diz na Bíblia: “Possuis corpo carnal e corpo espiritual”. Dispomos de práticas para que você mesmo possa ver sair a sua Alma do corpo...

Error message

  • Deprecated function: Function create_function() is deprecated in eval() (line 1 of /home/centroanael/public_html/modules/php/php.module(80) : eval()'d code).
  • Deprecated function: The each() function is deprecated. This message will be suppressed on further calls in _menu_load_objects() (line 579 of /home/centroanael/public_html/includes/menu.inc).
  • Deprecated function: implode(): Passing glue string after array is deprecated. Swap the parameters in drupal_get_feeds() (line 394 of /home/centroanael/public_html/includes/common.inc).
...compreendi e verifiquei que o problema de meu alcoolismo era provocado por uns defeitos de tipo psicológico que moram na nossa psique...

Carlos

Colombia

Alcohol

"Meu nome é Carlos e quero brindar-lhes este depoimento sobre o alcoolismo para que possa servir a quem de repente esteja passando por esta situação. Iniciei-me no álcool aos 13 anos de idade. Lembro-me que perto de onde eu morava estavam uns amigos que eram de outra cidade e seus pais lhes enviavam dinheiro mensalmente para cobrir os seus estudos e eles me convidavam a participar nas suas festas, e esses foram os momentos terríveis onde me iniciei nesse vício do álcool. No início me embebedava com facilidade e sempre vomitava (isto fazia com que se burlassem sempre de mim), agora entendo que era a rejeição que o meu organismo fazia às grandes quantidades de álcool que chegava a consumir. Frente a minha casa vivia também um senhor que era muito dado a festas, e eu escondido de minha mãe ia lá beber e participar das suas festanças. Inúteis foram os esforços de minha família para tratar de afastar-me de tudo aquilo, pois não lhes fazia caso. Foi quando acabei os estudos do bacharelato e comecei na universidade que a minha actividade alcoólica começou a aumentar, frequentando tascas, bares, discotecas, etc.


Quando chegavam as Sextas-feiras e Sábados sentia a necessidade imperiosa de beber e como já ninguém me o impedia saía a satisfazer essa "necessidade".Casei me e fui viver a outro país e lá continuei com essa mesma vida boémia e agora pior porque tinha um excelente posto de trabalho e ganhava muito dinheiro e tinha carro. Passava o tempo com os meus amigos, para cima e para baixo gastando o dinheiro, mas já não era aquele que se embebedava rapidamente e vomitava; agora tinha "amadurecido" no álcool. Todo mundo elogiava-me já que não era fácil embebedar-me, e era o último a sair das festas. Tudo isto repercutiu negativamente na relação com a minha família, a esposa e os meus filhos, e ainda que sempre tenha cumprido com os meus deveres da minha casa, eles me reclamavam que eu preferia estar com os meus amigos em vez deles, o qual era verdade.


Esta vida terrível me levou inclusive a pôr em perigo a vida da minha família já que numa oportunidade e conduzindo embriagado, meti-me numa via em contra-mão, ainda bem que a essa hora não vinha outro carro senão a desgraça tinha sido grande. Numa outra ocasião conduzia igualmente bêbado e também com a minha família, bati contra um poste, ainda bem que não lhe aconteceu nada a ninguém. Devido a esta e outras situações que me aconteceram e que seria muito longo contar, comecei a entrar nos eixos. Eu, sempre inconscientemente, dizia que tinha algo que me protegia porque a vida que eu levava era para que me tivesse acontecido algo de mau. Começaram a nascer em mim algumas inquietudes e uma enorme vontade de querer mudar para poder deixar essa vida que levava.


Estive quase a ir aos Alcoólicos Anónimos mas nunca fui já que queria procurar algo diferente; não me atraíam as religiões tradicionais, até que numa oportunidade vi um anúncio no jornal convidando a umas conferências num centro gnóstico da cidade e me animei a ir. Durei dois anos nesse centro nesse país estrangeiro. Aí compreendi e verifiquei que o problema de meu alcoolismo era provocado por uns defeitos de tipo psicológico que moram na nossa psique, e me deram as técnicas para eliminar esses defeitos. No plano astral ou mundo dos sonhos, meu Deus Interior ou Mestre Interno me mostrou que esse era o pior dos meus defeitos. Aí e em visão de sonhos, me vi bêbado e atirado ao chão e muita gente ao meu redor burlando-se de mim. Eram os meus defeitos do álcool. Regressei novamente a Colômbia, onde assisto faz três anos no Centro Anael desde onde se divulga a esta humanidade as ideias-chave para mudar e melhorar nossas vidas. Com essas ideias-chave psicológicas e através do sentido da auto-observação psicológica, ou introspecção, que tenho vindo a desenvolver, tenho vindo a trabalhar e eliminar gradualmente esse defeito e de facto lhe tenho retirado forças já que não quero viver novamente esse terrível filme em próximas vidas o existências. Já não sinto a necessidade de beber e todos aqueles amigos das noitadas se afastaram de mim.